Eu não sei achar petróleo. A Petrobras sabe blogar?

by

A charge que publiquei abaixo foi enviada por um colega via e-mail. Todo mundo recebe, diariamente, uma penca de links sobre isso e aquilo através da sua rede de interação social.

Publiquei aqui porque achei uma ótima charge, de excelente qualidade, que se encaixou perfeitamente no contexto.

Não entrei em contato com o autor para fazer isso, pois não há necessidade. Na blogosfera isso é comum, aliás, uma praxe. Basta citar a fonte desse conteúdo e colocar um link de onde veio. Opcionalmente pode-se enviar um e-mail comentando, e só.

Pois bem, o que escrevi acima foi o relato de uma regrinha básica de atuação de um meio. Essa regra não está na Constituição, não é lei, nem existe publicada em algum lugar. Não foi feito congresso nem assembléia de blogueiros para discutir o assunto, muito menos existe uma instituição para fiscalizar.

É apenas o bom senso que se instalou entre um grupo, entendendo que é bom para todo mundo. Facilita para quem quer usar o material e potencializa a divulgação da idéia do autor. Gera tráfego, viraliza trabalhos, espalha idéias, provoca reações. Nasceu espontaneamente sem nenhuma dor de parto, e todo mundo acata. Blog é isso, e quem entra para blogar entende o espírito da coisa.

Se alguém, entretanto, não obedecer minimamente essa regrinha, legalmente não vai acontecer nada. É apenas o descumprimento de um acordo de cavalheiros (e damas – pra ser politicamente correto, rsss).

Mas com certeza vai pegar muito mal no meio. Esse suposto blogueiro furão vai ficar um tanto “queimado” entre seus pares. No mínimo, vão coloca-lo na geladeira e com isso seu trabalho perderá a chance de ser mais divulgado. No mínimo.

Contei essa historinha toda para chegar ao ponto que interessa: O que a Petrobrás fez, em relação ao OFF do contato com a imprensa, é a mesma coisa. Não é ilegal, mas é deselegante.

Uma regra desse tipo só existe porque beneficia o trabalho de todos. Fosse algo sem importância, não teria razão de existir.

Muita gente tem falado que a imprensa fez uma tempestade em cima de uma coisa à toa. Não é bem assim. Houve uma certa gritaria justamente para explicitar que a quebra de uma norma de convivência tem seu custo.

Na prática, o caso Petrobrás não vai alterar em nada o andar da carruagem do trabalho da imprensa. As matérias vão continuar sendo feitas e denúncias investigadas. Quem perde é o setor de comunicação da empresa, que agora vai ficar na geladeira. Perde moral entre seus pares.

A desculpa oficial é que essa atitude foi uma forma de dar mais transparência no contato com a imprensa, em benefício do público. Pura cascata. Fosse essa a intenção, nem precisava de um blog, pois nem é exatamente essa sua função. Bastava disponibilizar em página interna do seu próprio website oficial as informações na íntegra após as matérias jornalísticas terem sido efetivamente publicadas, pois aí não haveria nenhum problema de furo com os jornalistas. Algumas empresas e instituições inclusive já fazem isso.

Tanto não foi, que depois que a celeuma ganhou corpo e repercussão, algumas autoridades do próprio governo torceram o nariz. Houve até declarações contra a estratégia dentro do PT. Logo em seguida, começou a pipocar versões na internet de que isso seria uma jogada de marketing, uma “genial” idéia para gerar buzz (ruído). Para quem não é do ramo de publicidade, gerar “buzz” é, com baixo custo, fabricar um fato ou peça interessante e conseguir ela que se espalhe gratuitamente por toda a mídia carregando sua marca. É aparecer para milhões de pessoas a custo quase zero.

Nesse ponto, o case “blog da Petrobras” foi eficiente. O custo, como já ironizei aqui, não foi nada perto de zero (hehehe), mas comparado à repercussão, foi realmente ínfimo. Fizeram barulho! Mas o resultado, hummm.

Partindo da premissa que houve mesmo essa intenção – segundo alguns andaram vangloriando em comentários por aqui – a Petrobrás teria conseguido a proeza de pagar para fazer buzz negativo.

Enquanto empresas se armam até os dentes para evitar que notícias ruins ou dúbias a seu respeito se espalhem sem controle, “os caras” da nossa Petrobrás estariam inovando, gastando tempo e dinheiro para espalhar a má notícia. Teriam inventado o ZZUB – o buzz ao contrário – com tecnologia totalmente nacional. Mesmo não tendo sido intencional – que é o que eu acredito – o efeito foi esse, isso é fato. E provavelmente vai virar objeto de estudos na academia.

Anúncios

Tags: , , , , , , , ,

73 Respostas to “Eu não sei achar petróleo. A Petrobras sabe blogar?”

  1. Alberto Says:

    buá, buá, buá, snif, snif, snif

    E o choro da corja manipuladora não tem fim.

  2. Thiago Says:

    Olha meu caro, você pode até não saber achar petróleo, mas tem um blog. Assim como eu e assim como 197 mil blogueiros. Ou seja, se nós temos o direito de ter um blog, porque a sexta empresa mais confiável no mundo não pode? Afinal, qual é o gabarito para se ter um blog? Simplesmente conseguir criar um. Agora, qual é o gabarito para se conseguir extrair petróleo? É muito mais do que o meu e o seu.

  3. alicia Says:

    “A desculpa oficial é que essa atitude foi uma forma de dar mais transparência no contato com a imprensa, em benefício do público. Pura cascata. Fosse essa a intenção, nem precisava de um blog, pois nem é exatamente essa sua função. Bastava disponibilizar em página interna do seu próprio website oficial as informações na íntegra após as matérias jornalísticas terem sido efetivamente publicadas, pois aí não haveria nenhum problema de furo com os jornalistas.”
    Entenda, com sua inteligência, honestidade e clareza, vc vai despertar o pior de certas pessoas, MAS tb vai contribuir para clarear muitas dúvidas de gente que está a fim de um debate sério sobre certos temas.
    Entendo tb que a Petobras não confia no seu website oficial (que até ela deve considerar muito chato) e resolveu, midiaticamente, fazer um buzz que virou um zzub…

  4. Paola Says:

    Caro blogueiro, a conclusão que se tem é que a mentira tem perna curta. Esse partido que desgoverna o Brasil sempre acaba pecando pelo excesso, porque meeente demais! Abraço.

  5. Anonymous Says:

    Olha, estou pegando o bonde andando, só hoje ouvi falar dessa coisa dos blogs, então pode ser que alguém já tenha escrito isso e eu não vi.

    Coisa caída nº 1: no site da Petrobras eu só consigo acessar o link do blog depois de fechar um quadrinho em cima que tem um carinha trazendo uns cartões, enfim, caído.

    Coisa caída nº 2: o blog oficial está num endereço wordpress.com. O wordpress é um programa de blog GRATUITO, qualquer empresa pode baixar do site wordpress.org e instalar dentro do seu site, com seu próprio endereço. É FÁCIL DE INSTALAR!!! O site do programa, wordpress.com, é uma opção para quem NÃO TEM SITE. O wordpress.com também dá a opção do blog funcionar no próprio wordpress.com e mediante pagamento ser direcionado ao site da empresa, quando então constará o endereço da empresa, o SITE DA EMPRESA. Nesse caso, não aparece “wordpress.com” no endereço do blog. Ou seja, das 3 opções para ter um blog usando o programa wordpress seja-lá-quem-for-que-bolou-o-blog-oficial escolheu a mais AMADORA, pois deu uma ótima oportunidade para uma paródia.

    Coisa caída nº 3: a discussão em torno do anonimato neste blog. Sério? Na boa, pra mim este blog é tão anônimo quanto o oficial. Tem algum nome lá? Só li que é “uma equipe” que administra. “Petrobras” é abstração, ficção, pessoa jurídica, quem comanda empresas e escreve coisas são pessoas de carne e osso.

    Eu não vou entrar no mérito sobre o conteúdo de ambos os blogs. Ainda que a Petrobras estivesse correta, ver tamanho amadorismo numa empresa tão simbólica me atordoa. E mais, graaaaande coisa uma empresa ter um blog. Dããããã todo mundo já faz isso. Porém, de forma profissional. Estou vendo muito blábláblá e pouco número.

    P.S.: Sobre o layout, o formato do blog. Quando se abre uma conta de blog no wordpress.com você tem uma lista de mais de 60 layouts pra escolher. Este aqui é o que o worpress.com coloca “by default”, ou seja, se você não fizer absolutamente nada é este o formato que vai ter o seu blog. O nome desse “theme” é Kubrick. Você pode ter um igualzinho se quiser. Eu acabei de fazer dois só pra mostrar como é fácil, http://petrobrasboatosebabados.wordpress.com e a paródia http://petrobrasbabadoseboatos.wordpress.com. Sobre a imagem, isto se chama “fair use”, “uso justo”, quando se faz paródia pode. Só um juiz muito bizonho falaria em violação de direitos neste caso.

  6. Leonardo Says:

    1149 (era 1150 mas uma jaz no oceano atlantico) jornalistas e esse humilde blog detonou com o deles, bota para quebrar rapaz!!!!!

  7. Frodo Says:

    O tiro no pé da Petrossauro declarando guerra à imprensa Livre, já deve estar causando tremendo mau estar entre os verdadeiros funcionários dela, aqueles que fazem a empresa andar, os técnicos, os que metem a mão no óleo, não apenas nas inaugurações e eventos político/mercadológicos.
    A tentativa de colocar imprensa, e oposições na posição de inimigos é uma entre tantas imbecilidades petistas.
    A Petrossauro é do PT, Mas a Petrobrás é nossa!

  8. nanadapaz Says:

    O autoritarismo petista, talvez talvez acorde a imprensa; ora apenas despertada.

  9. Vanessa Says:

    O blog da Petrobras incomodou tanto, que tem até gente gastando tempo fazendo paródia.”Eu não sei achar petróleo. A Petrobras sabe blogar?” Nossa, para ter um blog agora precisa ter doutorado em blog? É algo muito complexo? Fala sério. Lamentável! Ideias originais incomodam muita gente…

  10. Eraldo Says:

    Pra mim está claro porque a imprensa ficou tão agitada com a atitude da Petrobras. Acho que tem pouco a ver com a questão de exclusividade. Acho que esse barulho é “buzz”, não o blog. Tanto que a Petrobras decidiu segurar a publicação das entrevista até o dia da matéria. A exclusividade é realmente algo importante pra imprensa e vale a pena respeitar isso.

    Sobre isso, vejam: http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/06/09/o-blog-da-petrobras-e-o-avanco-do-jornalismo/

    A imprensa, em geral, deita e rola com as edições mal feitas de entrevistas e fatos. Vejo estes abusos o tempo todo. Um evento que provocou uma onda incrível de edições mal feitas foi o referendo do desarmamento. Cansei de ver matérias publicando dados parciais que induziram uma interpretação totalmente equivocada dos fatos. Poucas horas depois do final da votação, começaram a surgir matérias com os dados completos. Aí a m… já tinha sido feita.

    Uma empresa que publica suas respostas (na íntegra) está apenas se resguardando dos maus jornalista que fazem edições ruins. Nem quero dizer que isso é feito com má intenção. Muitas vezes, não é. Muitas vezes, o jornalista é ruim mesmo. Mas esses caras causam danos. Eu leio notícias e formo opinião em cima das informações contidas nelas. Não gosto de ser “enganado” por uma notícia. Por isso, adoraria que toda empresa publicasse respostas sobre matérias relacionadas a elas.

    A Petrobras tem todo direito de manter um blog na wordpress.com mesmo. Comparar um blog com o site da empresa só faz sentido pra quem não conhece a dinâmica da blogosfera. Acho que utilizar a wordpress dá mais aderência do blog à blogosfera. Se o blog fosse …petrobras.com.br, não seria a mesma coisa, com certeza.

    http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/06/07/o-fim-da-era-das-perguntas-em-off/

    Nem vou discutir as críticas ao design do blog.

  11. Madureira Says:

    Legal, a galera do marketing e imprensa da Petropinga é a melhor em colocar a opinião pública sobre a empresa em águas profundas.
    Quase um pré-sal.

  12. Jaime Balbino Says:

    Caro blogueiro,

    Como os comentários aqui não precisam de aprovação, não sei se você chegará a ler este. Por isso vou tomar a liberdade de usar caixa-alta na frase abaixo para chamar sua atenção:

    !!! SUA ANALOGIA DA CHARGE COM O BLOG ESTÁ COMPLETAMENTE FURADA !!!!

    Você ainda é estudante de jornalismo e provavelmente ainda não chegou aos direitos autorais. Dependendo da faculdade talvez nem veja essa matéria.

    Bem, na verdade não se pode sair por aí copiando charges, imagens, textos, livros e vídeos dos outros e colocando na web, mesmo citando e linkando o autor original. A Lei de Direitos Autorais VETA esse tipo de prática e dá ao autor ou detentor dos direitos (editora, por exemplo) a prerrogativa de autorizar ou não, mediante pagamento ou não.

    AO CONTRÁRIO DO QUE VOCÊ COLOCOU, NÃO É EDUCADO COPIAR O TRABALHO DOS OUTROS MESMO CITANDO O AUTOR.

    O que acontece é que a maioria das pessoas não tem controle sobre esse tipo de divulgação, não liga para isso em benefício da notoriedade ou, em muitos casos, tem consciência de que a divulgação é benéfica para ele e para a sociedade de alguma maneira.

    PORÉM, O AUTOR PODE NÃO GOSTAR DA DIVULGAÇÃO NÃO-AUTORIZADA E AÍ EXERCE SEU DIREITO MORAL E LEGAL DE TER CONTROLE SOBRE OS VEÍCULOS QUE DIVULGAM SEU MATERIAL.

    Logo, esse “acordo de cavalheiros” que você acha que existe, na verdade é apenas uma acomodação permitida porque os direitos do autor estão legalmente garantidos e podem ser acionados a qualquer momento.

    A mesma Lei de Direito Autoral aponta exceções, é claro, duas delas são muito sintomáticas:

    1. MATÉRIAS JORNALÍSTICAS NÃO POSSUEM RESERVA DE DIREITO À DISTRIBUIÇÃO E A TÍTULO DE DIVULGAÇÃO DA INFORMAÇÃO PODEM SER REPRODUZIDAS E CITADAS EM OUTROS VEÍCULOS, DESDE QUE PRESERVE-SE A AUTORIA. (talvez possamos incluir charges aqui)

    2. FORMULÁRIOS EM BRANCO NÃO POSSUEM DIREITO AUTORAL. (Perguntas de entrevista compõem um formulário, não? Indo ao extremo, não seria necessário sequer citar “autores de formulários”)

    Retomando tudo o que foi dito acima temos o seguinte:

    1. Não há “pacto informal de cavalheiros”. Já que a CÓPIA DE MATERIAL JORNALÍSTICO É LEGALMENTE LIBERADA

    2. Autores podem, formalmente ou não, abrir mão dos direitos e acionar a justiça apenas nos casos que lhe interessam. Exceto para matérias jornalísticas divulgados apenas para informar e sem objetivo comercial.

    3. Perguntas sem resposta NÃO SÃO PROTEGIDAS POR DIREITO AUTORAL.

    De acordo com a sua lógica, a Petrobrás cumpre até seu “acordo de cavalheiros da Web” ao divulgar os formulários respondidos apontando o autor.

    Ela também cumpre a legislação até onde esta alcança ao se aproveitar da liberdade dada para divulgação de matérias e formulários.

    POR FIM, NUNCA EXISTIU NO MUNDO INTEIRO JORNALISTA, ACADÊMICO OU ANALISTA QUE DESCREVESSE OU DEFENDESSE A TESE DE “SIGILO COMPULSÓRIO DA FONTE”. Pergunte aos seus professores, pesquise na Web e na bibliloteca da faculdade (se existir).

    Esse pacto silencioso, digno de sociedades secretas, só apareceu a 4 dias. E COMO DESEJO DE SER UMA EXCEÇÃO À LIBERDADE DE EXPRESSÃO E À LEI.

    Para mais informações sobre DIREITO AUTORAL sugiro a recente mesa-redonda sobre o tema em: http://senaed2009.wordpress.com/

    (Sugiro, se desejar, que coloque este comentário também como post. Seria uma oportunidade sua de destacar o contraditório. É claro que você e outros comentaristas poderiam debater os pontos que levanto.)

  13. Alexandre Says:

    CHOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOORA BURGUESIA DECADENTE!

  14. Jaime Balbino Says:

    Jovem blogueiro,

    1. Se a imprensa não publica uma informação a pedido ou pressão da fonte a opinião pública fica indignada com o jornal ou TV. Afinal está lhe sendo tolhido o direito à informação, além de ser um comportamento que retira a credibilidade do órgão informativo.
    Da mesma forma, se é a imprensa que exige que a fonte não divulgue informação, temos a mesma indignação popular. Afinal, a sociedade estará sendo tolhida da mesma forma e a credibilidade dos meios que defendem exclusividade vai pro ralo do mesmo jeito.

    2. O Senador Heráclito Fortes, do DEM/ex-PFL, anualmente dá uma festa para jornalistas onde sorteia passagens aéreas, sendo uma delas para Paris.
    Todas as passagens são emitidas pela Senado Federal dentro da cota funcional do Senador, que deveria servir para seus deslocamentos como Senador da República.
    Nenhum dos órgãos de imprensa que ora reclamam da Petrobrás denunciou essa maracutaia e muito menos deu o nome dos jornalistas “beneficiados”.
    Por outro lado, a festa anual do Senador com a Imprensa já é uma tradição em nossa sociedade.
    Seguindo o raciocínio do post acima, não seria o caso de também considerar como “acordo de cavalheiros” a distribuição de passagens do senado a jornalistas? Aí, mesmo depois do escândalo das passagens do Congresso seria possível continuar com o convescote, desta vez com apoio oficial do Congresso.
    Observe que ninguém nunca disse que jornalista tem direito a passagens de férias compradas com dinheiro público (pelo contrário), mas sendo uma “tradição”, não é o caso de manter e até ampliar o modelo instituído pelo Senador?

  15. Jaime Balbino Says:

    Aliás, transparência por transparência. Que tal um blog “senadofatosedados.wordpress.com.br”.

    “Bem ao seu estilo, o senador Heráclito Fortes [DEM/ex-PFL] está com um trunfo na mão: não vai divulgar os gastos do Senado com passagens aéreas porque, segundo disse com elevada dose de ironia, se for dar publicidade muita gente será comprometida, inclusive jornalistas.”

    http://www.piauihoje.com/materia.asp?notcod=12386

    PS: Até hoje a lista de beneficiados (jornalistas ou não) não foi divulgada.

  16. Frodo Says:

    Já o Presidente Lula, do PT, contrata logo direto. Não fica com essa bobagem de sortear viagem aérea.
    Que o digam Luis Nassif, Paulo Henrique Amorim, Franklin Martins, Tereza Cruvineu, etc, etc, etc….
    Sortear passagem, perto de comprar jornalista com empreguinho na REDE BRAZIL, é PEANUT!

  17. Thiago Says:

    O que eu acho mais engraçado é que petista acha que falar mal de algum político da oposição (algumas vezes, com razão) é uma forma de defender a postura dos governistas mesmo que em coisas completamente diferentes. Ou seja, se de um lado é ruim, o resto tem que ser também. Vejam só os comentários sobre o Heráclito Fortes e os senadores. É como alguém dizer: “O Dunga convocou o Gilberto Silva de novo? Não acredito”. aí vai o outro gênio e responde: “Besteira, Waldemar Lemos botou Kuki de titular”. Pronto, fim de papo, chegaram a um consenso.

  18. Jacopo Belbo Says:

    Blogueiro, não é só você que não sabe achar petróleo. Eu arriscaria que mais de dois terços dos funcionários do maior cabide de empregos do Brasil tampouco.

  19. Jeguenalda Says:

    Isto é democratização de acesso aos meios de informação. E aí ela(a empresa) criou um e teve uma imensa repercussão. Muitos chiaram. Faz parte do jogo. Mas a ABI deu sua chancela em dizer que é natural isto. Como tb faz parte do jogo vc criar a sua paródia. É democracia. Mas a mesma democracia tb me permite pensar que vc tb seja um “teleguiado” a fazer o “papel de cão amestrado” para alguém do PIG. Ou vc irá me tirar o direito de pensar o que quiser? Eu não tiro o seu. Vc não tira o meu. E nem o blog da Petrobras e verdade suprema. E viva que tenhamos pluralidade de pensamentos. No mais é choro de viúvas da Direita que perderam o poder e sabem que irão perder novamente na eleição de 2010. E aí? E aí nada. Um dia perderemos e vcs voltam com os mesmos vícios e passam um tempão no poder. Depois nos ganhamos e assim roda a história. Sua tentativa com a paródia é linda. Mas soa pateticamente quixotesca. Boa sorte e sucesso.

  20. George Bento Says:

    Concordo plenamente com o post. Acho, inclusive que a Petrobras deveria descontinuar TODOS os departamentos que não estejam ligados à atividade-fim da empresa.

    O banco itaú, em seu blog, poderá dizer… “Eu não sei achar Petroleo, a Petrobras sabe gerir dinheiro?”.

    Aliás, um motorista de onibus, indignado, me viu dirigindo e disse que não sabia lecionar, como eu sabia dirigir???.

    Que belo post esse. Parabéns.

  21. Graça Filadelfo Says:

    Este blog merece “Nota 10”. O outro, o da Petrobras, ao que parece, nasceu com o propósito de desviar a atenção da CPI e levar o debate para esta questão envolvendo o trabalho dos jornalistas. Ou seja, desmotivar a elaboração de matérias pautadas em temas vinculados à estatal. Outra coisa: a empresa tem um grande site. Então por que criar um blog?

  22. Joseth Says:

    Senhores,

    Sou empregado desta empresa, sem vinculo partidario. Quer gostemos ou nao do partido que esta hoje a frente do governo, a empresa tem mais de 50 anos de serviços prestados ao pais. Associa-la a um governo passageiro é muita crueldade com incontaveis vidas e jornadas de trabalho dedicadas a servir o nosso pais. Ataquem o governo ou o partido a vontade, mas por favor preservem o que é nosso.

    Joseth

  23. alicia Says:

    Jaime Balbino Disse:
    11/06/2009 às 8:28 pm
    “Se a Petrobrás quer potencializar a preguiça dos senadores em investigar ela tem mesmo que esvaziar as “deúncias” fabricadas na imprensa. E isso ela conseguiu ao criar um canal para auto-defesa. Só vai perder o crédito se deixar de responder satisfatoriamente o que lhe for perguntado.”
    Os senadores envolvidos com a CPI não têm preguiça, querem fazer seu trabalho, o Governo é que está apavorado e, tal como a Petrobras, tenta sabotar todo processo.
    Aliás, em um país onde todos os responsáveis (que deviam responder, pois estão no poder) dizem que “não sabiam de nada”, o que esperar de uma investigação séria? Devíamos achar normal tudo isso, mas não dá, sinceramente não dá…

  24. ernesto heredia dias Says:

    Conclamo que todos façam parte do boicote:

    ” NÃO ABASTEÇAM NOS POSTOS DA PETROBRÁS !”

  25. Otto Lima Says:

    Não sei se o autor deste blog sabe achar petróleo, mas o fato é que lhe falta personalidade para dizer o que pensa com suas próprias palavras e isto, evidenciado pelo fato de ele ter plagiado o blog oficial da Petrobras para chamar atenção.

    Todo cidadão brasileiro é livre para apoiar ou criticar esta ou aquela empresa, esta ou aquel instituição, esta ou aquela pessoa, desde que faça isso com responsabilidade e, como determina o Inciso IV do Art. 5º da Constituição Federal, sem se esconder no anonimato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: