Um outro assunto…

by

Vou nesse post sair do tema Petrobras para falar de um assunto que é fruto de inúmeros debates aqui em casa, envolvendo toda a família: O tal TAV – Trem de Alta Velocidade, projeto do governo federal que pretende conectar Rio-São Paulo-Campinas.

Obra inventada pelo governo Lula, sob justificativa de haver um gargalo na ligação dessas cidades para a copa do mundo de futebol em 2014, tem uma previsão de custo de 35 bilhões de Reais.

Tomando o exemplo dos preparativos dos jogos Pan-Americanos no Rio de Janeiro, onde a previsão era de gastos da ordem de R$ 500  milhões, e efetivamente se torrou 3,7 bilhões de Reais, podemos considerar essa previsão do TVA algo subestimado, principalmente porque se tem um prazo curto de quatro anos e meio para sua conclusão.

Sendo otimista, e saltando esse valor de 35 para um real gasto de R$ 40 bilhões (um acréscimo de 15%), teríamos o custo de um ano da extinta CPMF investido num único projeto, cujo benefício seria apenas o transporte de pessoas entre duas capitais, não contemplando o transporte de cargas. É o supra-sumo do desperdício de dinheiro suado de impostos numa obra que considero de luxo.

Fazendo um cálculo simples, essa obra custará 400 reais para cada brasileiro economicamente ativo. Isso mesmo! Cada um de nós vai tirar 400 Reais do bolso, igual uma coleta de doações na igreja, colocando no saquinho do ministério dos transportes, aquele que é dominado pelo PMDB, partido de Sarney, Renan e companhia, pródigo em envolver-se em celeumas com o TCU e empreiteiras.

Essa semana, aliás, a revista Veja publicou matéria mostrando o descalabro de outra obra ferroviária brasileira, a ferrovia Norte-Sul, que já engoliu R$ 1,4 bilhões do orçamento desde os anos 80 e continua inacabada, envolta em denúncias de corrupção, abandonada em vários trechos, sem manutenção e em visível deterioração. Curiosamente, ali também se encontram as digitais de Sarney e do PMDB. Porém, a Norte-Sul é uma ferrovia que, estivesse pronta, serviria para o desenvolvimento econômico da região, pois é prioritariamente uma ferrovia de carga (contempla passageiros também). É uma obra de infra-estrutura de transportes, diferente do TAV, um trem de luxo.

Os defensores do TAV costumam lembrar que países como o Japão, França, Alemanha entre outros tem seus trens de alta velocidade, e que vias férreas são uma solução para o transporte. Concordo plenamente. Mas lembro que todos esses países resolveram quase que plenamente problemas muito mais urgentes como saúde pública, segurança e educação, e tinham, quando investiram em seus “trens-bala”, sobra de caixa para tais empreitadas. O Brasil, diferente desses países, tem déficit de investimentos em questões básicas para seus cidadãos, não podendo desperdiçar tamanho montante em algo que, repito, não beneficia a logística de carga.

Se o problema é a copa de 2014 e a logística de turismo, o governo federal poderia economizar mais de 80% desse montante, construindo dois novos aeroportos exclusivos para ponte-aérea Rio-SP, em cada uma das citadas capitais, e ponto final. Seria coisa de menos de seis bilhões para isso, 15% dos quarenta bilhões previstos no TAV.

Para quem tem acompanhado o assunto, vale lembrar que a passagem do TAV é estimada em R$ 200 reais por viagem, preço de passagem aérea. Pelo valor, percebe-se também que não é obra que beneficiará a maioria da população, que continuará buscando no modal rodoviário a sua locomoção.

Aliás, pensando um pouco maior, poderíamos ainda com essa dinheirama: Ampliar o aeroporto de SP/Cumbica – custo de R$ 1 bilhão de Reais; duplicar a rodovia Presidente Dutra (BR-116 Rio-SP) – custo de R$ 6 bilhões; recuperar a malha ferroviária já existente entre esses dois estados – custo de R$ 2 bilhões. Total: R$ 9 bilhões. Somando os seis bi para a construção de dois novos aeródromos propostos acima ainda assim economizaríamos R$ 25 BILHÕES!!! E todos esses investimentos contemplam o transporte de cargas, gargalo real e imediato que atravanca o crescimento econômico da região.

Meu maior medo – e não é infundado – é que essa obra comece e nunca termine. Parecido com a ferrovia Norte-Sul, igual aos famosos e gigantescos viadutos fantasmas que jazem entre o Rio e São Paulo, abandonados na Serra do Mar, fruto de projeto rodoviário equivocado do governo federal na década de 1970, um triste retrato do desperdício de dinheiro público. Pra quem não conhece o caso, segue abaixo algumas fotos dos tais viadutos.

Está na hora da imprensa entrar pesado nesse debate, pois o governo federal está enfiando esse faraônico projeto ferroviário goela abaixo numa velocidade análoga ao trem-bala, sempre sob a desculpa das necessidades da copa do mundo, uma bela cortina de fumaça (futebol) para fazer o povo se conformar com o absurdo do custo e da falta de prioridade dessa obra, que corre sob a égide do PMDB e Dilma.

 

Viadutos perdidos na Serra do Mar Rio-SP

Viadutos perdidos na Serra do Mar Rio-SP

 

Ao menos os viadutos fantasmas servem para a prática do rapel

Ao menos os viadutos fantasmas servem para a prática do rapel

 

Para quem acha que é mentira, essa foto de satélite mostra a ligação do nada ao lugar nenhum

Para quem acha que é mentira, essa foto de satélite mostra a ligação do nada ao lugar nenhum

 

Vários desses esqueletos podem ser encontrados pela Serra do Mar

Vários desses esqueletos podem ser encontrados pela Serra do Mar

Anúncios

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

5 Respostas to “Um outro assunto…”

  1. Vera Says:

    Meu Deus oque estão fazendo conosco????????

  2. Cesar Tatublog Says:

    Esse trem, como dizem lá em Belzonte, já é chamado pelos cariocas de TREM BALA PERDIDA… Eu, que sou baiano, vou chamar de TREM FUNDOS PERDIDOS. E tome imposto!

    Não sabia dessa história de estrada fantasma em São Paulo. Podiam pegar esses viadutos e construir presídios em cima deles, exclusivo para prender políticos corruptos. Só que precisaria ter milhares deles, pra poder caber tanto safado. Ou não, já que político ladrão ser preso é raridade neztepaiz de *****.

  3. Renato Lima Says:

    Excelente post. É muito comum esse erro de confundir intenções nobres (um trem bala entre SP-RJ) com o projeto em si. E os políticos sabem como manipular boas intenções em projetos rentáveis ($$$ para quem?). Toda atenção é pouca em mais uma obra faraônica.

  4. Virgílio Says:

    Excelente post meu caro. Aqui no planalto central também temos o nosso trem bala. Essa grande idéia surgiu no governo Roriz. Ligaria Brasília a Goiânia e foi batizado de transpequi. Caso não conheça, pequi é uma fruta muito comum no centro-oeste.

  5. flavio Says:

    quem disse q isso ai e viaduto ferroviario de qualquer extinta ferrovia ou projeto de tal ??
    isso ai e um antigo projeto de uma estrada oq nda tem haver com ferrovia .
    apesar de ser dinheiro jogado no lixo mas vc esta redondamente enganado a respeito dessas obras .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: