Posts Tagged ‘blog da petrobras’

De casa nova e provisória

9 setembro 2009

Continuo sem maiores informações do WordPress. Porém, aconselhado por pessoas mais experientes acatei a notificação e transferi o blog para esse novo domínio, encerrando as atividades no antigo.

Uma amiga jornalista nos EUA está tentando obter algo mais concreto deles. Também tenho insistido nos contatos via e-mail.

O fato é que venho escrevendo há 3 meses, e só agora, depois de uma revista internacional mencionar o blog e a polêmica do blog clone do planalto ter tomado corpo é que chega essa notificação. Muita coincidência. Pra piorar, o destino colocou como “deadline” do antigo blog a data da comemoração da nossa independência.

A vida continua, mas confesso que um pouco menos colorida.

Anúncios

O imbróglio Petrobras X Receita Federal

25 agosto 2009

Diferente do que o governo e fontes da própria Petrobras andam soltando por aí, o imbróglio Receita Federal X Petrobras está longe de ser considerado resolvido. Dentro da receita há técnicos, gente com muitos anos de carreira e serviços prestados ao país, que tem opinião formada contra a manobra contábil aplicada pela nossa petrolífera para recolher menos impostos.

Na CPI, diretores nomeados por critérios políticos defenderam a maneira peculiar com que a Petrobras traduziu as normas tributárias. Falam inclusive em casos semelhantes na grande iniciativa privada brasileira. Fico na dúvida se a Petrobras não estaria dando o mau exemplo.

Não sou um especialista em tributação, mas concluo que, se existe a polêmica dentro da receita, caso encerrado não é. O fato da Petrobras ter estado com problemas de caixa no segundo semestre de 2008 na minha visão poderia ser interpretado até naturalmente, tendo em vista a eclosão da grande crise mundial, com profunda desvalorização do preço do petróleo no mercado internacional.

O que parece é que, por usar politicamente a nossa Petrobras como arma eleitoral, o governo Lula não aceita que a imagem de “sucesso” da companhia seja arranhada por questionamentos legítimos de ninguém, nem por órgãos de Estado.

A Receita questiona alguns métodos de recolhimento fiscal, a oposição questiona o uso do caixa da empresa em assuntos eleitorais e suposta corrupção, o TCU questiona algumas grandes operações de investimentos, a Polícia Federal questiona alguns procedimentos suspeitos criminalmente.

Mas Lula, Gabrielli e o PT não aceitam. Eles se apoderaram de mais de 50 anos de história para fazer dos méritos da Petrobras – que são só da Petrobras – em ativo do partido. Já onde realmente o governo pode ser responsabilizado exclusivamente, a regra é esconder. O caso do pré-sal é típico: Uma pesquisa que vem sendo conduzida há mais de 20 anos, mas por dar resultados práticos agora – na verdade prático mesmo só daqui alguns anos – torna-se carimbada pelo partido como fruto do seu governo.

Claro que ninguém quer proibir Lula de inaugurar com pompas as conquistas da Petrobras, isso é natural de qualquer governante. Mas não podemos aceitar a transformação descarada desses eventos em comícios eleitorais. Muito menos aceitar que haja um desmonte da Receita Federal justamente porque seus servidores de carreira indicam possíveis desajustes na área fiscal da empresa.

Hoje houve demissão coletiva de dirigentes da Receita por não concordarem com a maneira com que vem sendo feita a “tratoragem” do governo sobre o quadro técnico do órgão. Lina Vieira foi só um prenúncio.

É o jeito Lula de governar, misturando sempre política partidária com Estado, não colocando limites em seus subordinados e ele mesmo dando maus exemplos. O fato da CPI estar amordaçada é caso típico. Uma coisa é ter algum controle sobre uma CPI, outra abafá-la completamente.

 

Movimento Fora Sarney

22 agosto 2009

Nesse sábado (22/08) acontecerá em todo Brasil passeatas e manifestações de cidadãos insatisfeitos com a pizza do caso Sarney no senado federal, protestando contra a pemanência do senador maranhense do Amapá na presidência da casa.

Se você estiver disposto a contribuir com um movimento pró-cidadania, PARTICIPE, faça a diferença!

José Sarney representa o atraso, um Brasil arcaico que queremos enterrar

José Sarney representa o atraso, um Brasil arcaico que queremos enterrar

 

Para saber sobre locais e horários em outras cidades, consulte a comunidade do Orkut Fora Sarney.

Esperança

31 julho 2009

A reviravolta no caso Sarney, onde o presidente Lula mostra-se agora um defensor menos ardoroso do senador “maranhense” do Amapá, é um sinal de esperança no desenrolar da CPI da Petrobras. Segundo noticiou o jornal O Estado de São Paulo, essa mudança de comportamento do presidente do país se deve unicamente à revelação, por pesquisas encomendadas pelo planalto, do desgaste perante a opinião pública da figura do presidente, incluindo ai o de sua ministra-candidata Dilma Roussef.

Mais uma vez, constatamos a força da opinião pública mudando a história da política real. Sabemos que Lula é altamente sensível a qualquer mudança de patamar de sua popularidade, a segunda maior já conquistada por um presidente no Brasil. No caso específico de Lula, é até uma obsessão, dado que ao menor indício de perda de popularidade – o que é até normal em finais de mandato – faz o presidente se esquecer de condutas responsáveis em questões de gestão pública e parta, sem pestanejar, para medidas populistas custe o que custar.

Mas, deixando essa paranóia presidencial de lado e olhando para o fato pura e simplesmente, o lado bom dessa história é justamente a mudança de atitude por parte dos políticos diante de uma massa descontente e amplificada pela imprensa.

Quando postei um texto saudando a instalação efetiva da CPI da Petrobras, alguns me criticaram pelo teor demasiadamente otimista do título do post. Claro que naquele momento, e ainda agora, tenho a exata noção da dificuldade que será investigar qualquer coisa dentro de uma comissão tão desequilibrada pró-governo. São nove senadores governistas contra apenas três oposicionistas, e ainda temos senadores sem voto, suplentes que chegaram à Brasília por pura deficiência do nosso sistema eleitoral que permite tamanho atraso.

Porém, pegando carona no atual “momento Lula”, que começa a dar sinais que deixará seu neo-aliado Sarney queimar na fogueira das denúncias comprovadas sem um apoio tão descarado, podemos imaginar que, com os holofotes da imprensa acesos e focados no andamento da CPI, o desequilíbrio de forças ali possa amainar.

Nunca é demais lembrar como a CPI do mensalão mudou rapidamente de rumo e produziu um documento que acabou em denúncia contra quarenta mensaleiros e derrubou, na cassação e depois nas urnas, um bom tanto de parlamentares.

Enfim, CPIs, mesmo tão desgastadas com a imagem da pizza assando no forno, quase sempre produzem algum efeito prático. Temos algumas para lembrar: A dos anões do orçamento, que terminou com seis parlamentares cassados e quatro que preferiram renunciar para fugir da punição e da inelegibilidade; A do PC Farias, que terminou com o impeachment de Fernando Collor e até a atual da pedofilia, que produziu leis mais severas para o caso.

Sei que o resultado de todas elas sempre é menor do que gostaríamos, pois o jogo político atua com força e o espírito de corpo fala alto. Mas é mais do que muito político apreciaria, Lula inclusive.

Best-Seller

22 julho 2009

Falcao meninos do trafico

Direto da gráfica do Senado: Falcão, meninos do tráfico de influência

(ler posts abaixo)

Se quiser comprar/ver o original, clique aqui no Submarino.

CPI instalada, viva a democracia!

14 julho 2009

Hoje, terça-feira, 14 de julho, finalmente foram iniciados os trabalhos da CPI da Petrobras no Senado. Após tantas manobras e protelamentos por parte dos senadores que apóiam o governo Lula, e da pressão forte que o planalto exerceu contra as investigações, teremos agora a possibilidade de acompanhar, via TV Senado, quem são os políticos que honram com seus votos recebidos da população.

A CPI, que tem maioria folgada de governistas, contrariou uma tradição da casa ao escolher relator também governista, após ter eleito chapa de presidente e vice. Mas isso não significará muita coisa se cada cidadão exercer seu direito de pressão e exigir isenção e patriotismo na condução dos trabalhos. Teremos que estar atentos e fazendo barulho, para não permitir que tudo termine em forma redonda, coberta de molho de tomate.

A próxima reunião da comissão será logo após o recesso de julho, no dia 06 de agosto às 10hs.

Abaixo, o nome dos senadores que compõem a CPI:

[G] Presidente da comissão: João Pedro (PT-AM)

[G] Vice-Presidente: Marcelo Crivela (PRB/RJ)

[G] Relator: Romero Jucá (PMDB-RR) – líder do governo no Senado

[O] Autor do requerimento: Álvaro Dias (PSDB-PR)

Demais membros:
[O] Sérgio Guerra (PSDB-PE) – presidente nacional do PSDB
[G] Ideli Salvati (PT-SC) – líder do governo no congresso
[G] Gim Argelo (PTB-DF) – vice-líder do governo no Senado
[G] Paulo Duque (PMDB-RJ)
[G] Jefferson Praia (PDT-AM)
[G] Valdir Raupp (PMDB-RO)
[O] Antônio Carlos Magalhães Júnior (DEM-BA)
[G] = Governistas                                  [O] = Oposição

 

O PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) finalmente caiu do berço esplêndido e colocou no ar um blog para repassar notícias e informações sobre a CPI. Segue o link:  PETROBRAS BLOG DA CPI

 

         Assista aqui Vídeo Clip da abertura da CPI no YouTube:

A luta continua.

15 junho 2009

Depois de um ótimo feriado, com o inverno antecipado me congelando os pés e minha namorada aquecendo meu coração (hehehehe), volto a ativa aqui. Quero anunciar que vou estar menos presente, pois estou com meu TCC atrasado e entrando em semana de provas na facul. Também passei a colocar moderação prévia nos comentários – ajudado pelo meu avô, velho e atento napolitano, que se dispôs a compartilhar o árduo compromisso.

Isso terá que ser feito porque detectei, infelizmente, comentários contendo links maliciosos (provavelmente intencionais), o que poderia prejudicar alguns leitores incautos e até esse blog, devido à classificação etária do mesmo dentro do wordpress. Mas continua a proposta de não censurar qualquer tipo de conteúdo postado na seção.

Depois dessa rápida explicação sobre minha ausência e da mudança quanto aos comentários, vamos ao tema do dia:

Passado uma semana, formei a opinião de que o Blog da Petrobras nada mais é que uma extensão da assessoria de comunicação e imprensa da direção da companhia. Diferente do que alguns articulistas da própria imprensa levantaram – de que seria uma inovação e uma grande sacada da empresa em benefício do consumidor – ali o internauta só vai encontrar a opinião da direção da empresa. É quase a mesma coisa que visitar seu website institucional. Até aí nada demais, pois no mundo do marketing – e é o mundo que estudo – transparência total é uma escolha delicadíssima, muitas vezes inviável. A Coca-Cola, por exemplo, não iria, para satisfazer a curiosidade legítima de um consumidor, revelar a sua histórica fórmula secreta para mostrar-se transparente. Então esse papinho de inovação e revolução no contato empresa-cliente levantado por alguns em cima do “case” blog Petrobrás é pura fumaça. Lá, queiram ou não, você está em ambiente controlado por uma diretriz.

Tem o fato positivo deles colocarem na íntegra sua comunicação com a imprensa (desde que respeitando o off da apuração), mas pecam na análise que fazem dessa comunicação e também por não postarem, para efeito comparativo, as matérias jornalísticas efetivamente publicadas também na sua íntegra, sem restrição. Mais transparente seria colocar apenas a íntegra dos dois lados, e deixar que os leitores tirassem suas conclusões.

O problema hoje, entretanto, é continuar com o posicionamento político-partidário contido na seção de comentários do blog da nossa querida Petrobras. A moderação lá tem esse infeliz viés. Recebi e pesquisei na blogosfera inúmeras reclamações de gente que foi censurada quando fez críticas, perguntas incômodas ou partiu em defesa dos que lá são publicamente atacados. Já os bajuladores se acotovelam aos montões. E cá para nós, para uma empresa que conta com 1150 funcionários em sua área de comunicação, ficaria até fácil criar artificialmente essa nuvem de opinião positiva.

Mas isso não significa que esteja defendendo que um blog empresarial  abra mão da moderação nos comentários. Muito pelo contrário. No caso da Petrobras o que está faltando é exatamente moderação. Mas moderação equilibrada e transparente, o mínimo que se espera de uma empresa com a excelente reputação construída ao longo desses 56 anos e que prega responsabilidade social, ambiental e institucional.

O comportamento do blog é outro, aprovando mensagens com todo tipo de ataques e linchamentos à imprensa, jornalistas, políticos e demais supostos opositores, não da companhia, mas do partido que controla o governo atual. Isso joga ladeira abaixo toda imagem positiva duramente construída ao longo de meio século.

Blog da Petrobras: Transparência nebulosa II

12 junho 2009

Acompanhem: (os grifos são meus)

Publicado no Blog Oficial da Petrobras em 10 de junho sob o título “O Blog é nosso?”:

“O blog Fatos e Dados tem recebido o explícito apoio de milhares de internautas, jornalistas e entidades como ABI, OAB, entre outras, o que demonstra o acerto da decisão da Petrobras de manter um canal de comunicação rápida e direta com o público, dedicado a apresentar fatos e dados recentes da Petrobras, o posicionamento da empresa sobre as questões relativas à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e  esclarecimentos solicitados pela imprensa.”

 

Folha de São Paulo pergunta ao blog da Petrobras em seguida:

Pergunta: De que forma a Petrobras soube desse apoio da OAB? Foi pela entrevista aos jornais?

Resposta do blog:  “A Petrobras tomou conhecimento da posição da OAB por meio de declarações publicadas na imprensa.” (N.E. – essa ladainha toda significa simplesmente SIM)

 

Agora leiam a declaração publicada na imprensa a qual o blog se refere:

Declaração de Cezar Brito (presidente da OAB) ao jornal O Estado de São Paulo:

Para o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, a companhia pode encontrar outras formas de garantir a transparência e a publicação de suas posições em matérias jornalísticas sem quebrar o princípio de exclusividade, que faz parte da essência da atividade. “Não há nada contrário a uma instituição criar um blog como fonte de informação de seu pensamento, é até recomendável. Porém, não é recomendável que se quebrem as cláusulas de exclusividade com os jornalistas. Há uma quebra dos princípios da boa convivência, opinou Britto. Para o dirigente da OAB, a empresa pode não estar buscando desestimular a imprensa a investigá-la, mas produz esse efeito na prática. “Seria bom a Petrobrás rever esse procedimento. A partir do momento em que o jornal não tem a exclusividade, perde o interesse de divulgar como furo jornalístico algumas matérias. Acho que não é uma política correta.”

 

Resumo da ópera:

A declaração do presidente da OAB acima foi o suficiente para que a equipe que edita o blog oficial da Petrobras publicasse, sem consultá-lo, a seguinte frase de auto-engrandecimento:      O blog Fatos e Dados tem recebido o explícito apoio de milhares de internautas, jornalistas e entidades como ABI, OAB, entre outras…

Dando um desconto para a ABI (Associação Brasileira de Imprensa), cujo jornal interno que editam tem como um dos maiores anunciantes a própria Petrobras (clique aqui para ver, mas veja até a última página!), sobrou como apoio REAL ao blog as informativas e esclarecedoras palavras “ENTRE OUTRAS”.

E depois criticam a imprensa…

 

Em tempo: Isso tudo aconteceu ANTES do blog RECUAR na decisão de publicar a bel prazer o OFF dos jornalistas.

 

Eu não sei achar petróleo. A Petrobras sabe blogar?

10 junho 2009

A charge que publiquei abaixo foi enviada por um colega via e-mail. Todo mundo recebe, diariamente, uma penca de links sobre isso e aquilo através da sua rede de interação social.

Publiquei aqui porque achei uma ótima charge, de excelente qualidade, que se encaixou perfeitamente no contexto.

Não entrei em contato com o autor para fazer isso, pois não há necessidade. Na blogosfera isso é comum, aliás, uma praxe. Basta citar a fonte desse conteúdo e colocar um link de onde veio. Opcionalmente pode-se enviar um e-mail comentando, e só.

Pois bem, o que escrevi acima foi o relato de uma regrinha básica de atuação de um meio. Essa regra não está na Constituição, não é lei, nem existe publicada em algum lugar. Não foi feito congresso nem assembléia de blogueiros para discutir o assunto, muito menos existe uma instituição para fiscalizar.

É apenas o bom senso que se instalou entre um grupo, entendendo que é bom para todo mundo. Facilita para quem quer usar o material e potencializa a divulgação da idéia do autor. Gera tráfego, viraliza trabalhos, espalha idéias, provoca reações. Nasceu espontaneamente sem nenhuma dor de parto, e todo mundo acata. Blog é isso, e quem entra para blogar entende o espírito da coisa.

Se alguém, entretanto, não obedecer minimamente essa regrinha, legalmente não vai acontecer nada. É apenas o descumprimento de um acordo de cavalheiros (e damas – pra ser politicamente correto, rsss).

Mas com certeza vai pegar muito mal no meio. Esse suposto blogueiro furão vai ficar um tanto “queimado” entre seus pares. No mínimo, vão coloca-lo na geladeira e com isso seu trabalho perderá a chance de ser mais divulgado. No mínimo.

Contei essa historinha toda para chegar ao ponto que interessa: O que a Petrobrás fez, em relação ao OFF do contato com a imprensa, é a mesma coisa. Não é ilegal, mas é deselegante.

Uma regra desse tipo só existe porque beneficia o trabalho de todos. Fosse algo sem importância, não teria razão de existir.

Muita gente tem falado que a imprensa fez uma tempestade em cima de uma coisa à toa. Não é bem assim. Houve uma certa gritaria justamente para explicitar que a quebra de uma norma de convivência tem seu custo.

Na prática, o caso Petrobrás não vai alterar em nada o andar da carruagem do trabalho da imprensa. As matérias vão continuar sendo feitas e denúncias investigadas. Quem perde é o setor de comunicação da empresa, que agora vai ficar na geladeira. Perde moral entre seus pares.

A desculpa oficial é que essa atitude foi uma forma de dar mais transparência no contato com a imprensa, em benefício do público. Pura cascata. Fosse essa a intenção, nem precisava de um blog, pois nem é exatamente essa sua função. Bastava disponibilizar em página interna do seu próprio website oficial as informações na íntegra após as matérias jornalísticas terem sido efetivamente publicadas, pois aí não haveria nenhum problema de furo com os jornalistas. Algumas empresas e instituições inclusive já fazem isso.

Tanto não foi, que depois que a celeuma ganhou corpo e repercussão, algumas autoridades do próprio governo torceram o nariz. Houve até declarações contra a estratégia dentro do PT. Logo em seguida, começou a pipocar versões na internet de que isso seria uma jogada de marketing, uma “genial” idéia para gerar buzz (ruído). Para quem não é do ramo de publicidade, gerar “buzz” é, com baixo custo, fabricar um fato ou peça interessante e conseguir ela que se espalhe gratuitamente por toda a mídia carregando sua marca. É aparecer para milhões de pessoas a custo quase zero.

Nesse ponto, o case “blog da Petrobras” foi eficiente. O custo, como já ironizei aqui, não foi nada perto de zero (hehehe), mas comparado à repercussão, foi realmente ínfimo. Fizeram barulho! Mas o resultado, hummm.

Partindo da premissa que houve mesmo essa intenção – segundo alguns andaram vangloriando em comentários por aqui – a Petrobrás teria conseguido a proeza de pagar para fazer buzz negativo.

Enquanto empresas se armam até os dentes para evitar que notícias ruins ou dúbias a seu respeito se espalhem sem controle, “os caras” da nossa Petrobrás estariam inovando, gastando tempo e dinheiro para espalhar a má notícia. Teriam inventado o ZZUB – o buzz ao contrário – com tecnologia totalmente nacional. Mesmo não tendo sido intencional – que é o que eu acredito – o efeito foi esse, isso é fato. E provavelmente vai virar objeto de estudos na academia.

Petrobras X Informação

10 junho 2009

 

petrobras_e_imprensa

Elder Galvão é chargista do blog Perspectiva Política e mostra sua arte em eldergalvao.com