Posts Tagged ‘CPI petrobras’

Petrobras, PAC e os aditivos bilionários

26 julho 2009

cpi petrobras

Petrobrás é campeã em rever custos

Dez empreendimentos da estatal tiveram elevação no valor dos investimentos, um acréscimo de R$ 4,7 bilhões

Renée Pereira – Jornal O Estado de São Paulo – 26/07/09

Os empreendimentos da Petrobrás são campeões na lista das maiores revisões de custos entre os demais projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). No total, 10 obras da empresa apresentaram elevação no valor dos investimentos, que representa acréscimo de R$ 4,7 bilhões (sem considerar a Refinaria Abreu Lima, em Pernambuco, cujo aumento foi de R$ 15,57 bilhões).

As alterações bilionárias chamaram a atenção do Tribunal de Contas da União (TCU), que não tem dado folga para a estatal. A investigação de dois empreendimentos já se tornaram públicas: Refinaria Abreu Lima e Comperj, cujos investimentos somam R$ 42 bilhões, segundo o balanço do PAC.

Em nota, a Petrobrás listou uma série de fatores para explicar os aumentos nos custos. Além do impacto da variação cambial, há questões relacionadas a aumento de serviços por causa de descobertas feitas durante as escavações, como rochas de difícil perfuração, que exigem maior esforço dos construtores. Outra justificativa foi “o aquecimento do mercado de petróleo e gás nos últimos anos, que provocou a alta da cotação do óleo, elevação de preço de insumos, como o aço, e limitação de equipamentos disponíveis no mercado”.

Essa foi a explicação da estatal para o aumento de R$ 920 milhões no investimento na plataforma P-53 (Campo de Marlin Leste). No caso do Comperj, que está sendo investigada pelo TCU, a empresa afirma que ainda está em fase de licitação para construção das unidades. Apesar disso, já houve aumento de R$ 500 milhões no custo do projeto.

O setor de logística foi o segundo a registrar maiores aumentos no custo dos projetos. O maior deles foi verificado na construção da via de acesso perimetral da margem direita do Porto de Santos. O volume de investimentos subiu de R$ 55 milhões para R$ 107 milhões, aumento de 94%.

Para um empresário, que pediu para não ser identificado na reportagem, os grandes reajustes de preços nas obras do PAC são sinais de que o programa foi feito de afogadilho. No caso da perimetral, a Companhia Docas de Santos (Codesp) afirmou que a obra foi licitada há cinco anos e, portanto, tem o efeito dos reajustes no valor dos serviços. Além disso, destaca que foram encontrados sítios arqueológicos, que exigiram a elaboração de programas especiais. O mesmo ocorreu por se tratar de uma “obra executada no entorno de bens tombados pelo patrimônio histórico”. Outra justificativa foi a inclusão de novas obras no projeto.

Na avaliação do professor da Fundação Dom Cabral Paulo Resende, essas variações nos investimentos, embora muito acima do razoável, são reflexos de um outro problema do PAC: a lentidão na execução das obras. “Quanto mais demorado for o processo entre a licitação e a execução dos projetos, mais cara será a obra. O tempo vai passando e as propostas iniciais não se sustentam, especialmente num cenário de alta de preços.”

Um exemplo da lentidão do País em tirar seus projetos do papel é a Eclusa de Tucuruí, que está em construção há 28 anos. Só no período entre 2007 e 2009 (desde que entrou no PAC) o valor da obra subiu 48%, de R$ 548 milhões para R$ 815 milhões. Como nos demais casos, as explicações se repetem. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), nesse período foram identificados serviços adicionais, imprevistos geológicos, adequação de equipamentos e desapropriações.

 

Meu comentário: Na iniciativa privada de fato, essa turma já tinha levado bilhete azul.

Anúncios

"Lula, a pizza, o porquito e o compadrio" – by UOL

18 julho 2009

Excelente produção de humor da equipe do UOL vídeos

Comentem à vontade!

UNE das mentiras envergonha estudantes de verdade

17 julho 2009

Ontem, quinta-feira, a UNE recebeu o presidente Lula em reunião em Brasília. O assunto oficial era um tal congresso, mas, na verdade, tratou-se de cerimônia para a emissão do recibo das milionárias verbas que o governo federal vem repassando para uma entidade que esqueceu a educação e partiu para a venda de apoio partidário explícito. Como as verbas vêm engordando ano após ano, o acordo comercial UNE-PT-Governo parece estar sendo rentável para os que dirigem a entidade. E o presidente Lula fez questão de ir cobrar pessoalmente que a UNE fizesse direitinho seu papel de cão de guarda remunerado, e promovesse uma ridícula passeata chapa-branca contra a CPI da Petrobras.

Triste constatar que uma organização que representou grandiosamente no passado os estudantes, sempre defendendo um mundo mais justo, agora funcione como um miserável escritório de representação comercial. Deveria, fosse a UNE de ontem, estar pedindo a cabeça de Sarney e não rastejando pró corruptos em troca de ração Frolic.

Por isso e tantas outras que estudantes se afastam cada vez mais dessa entidade, procurando-a apenas para pegar seus crachás de meia-entrada. Participar, debater ou mesmo divulgar uma causa justa tornou-se impossível. Primeiro porque ninguém que tenha bons princípios quer se misturar à política mais canalha que impera lá dentro, segundo porque os donos do cofre da entidade trancaram-se como mafiosos, defendendo apenas a sua estreita e rentável turminha.

Versinhos de cartilha primária para o Gabi entender

9 junho 2009

Seu Gabi era funcionário, da Petrobrás

Carguinho comissionado, e outros quetais

Mas fez uma burrada, acertou o próprio pé

Foi demitido, tadinho, levou um olé.

 

Mas seu Gabizinho, que bobo não era

Fez bom pé de meia, e não eram querelas

Pensou um pouquinho, com os seus botões

Vou virar empresário, e soltou rojões

 

Pensou vários meses, meses a fio

descobriu um negócio, ali mesmo no Rio

A idéia era simples, era até genial

Uma locadora, de máquinas pro pré-sal

 

Mas como todo negócio, ele esperto sabia

Não podia se expor, a idéia era seu guia

Então bico calado, saiu pesquisando

Uma fábrica de máquinas, saiu procurando

 

Atravessou o Atlântico, foi até a Hungria

Mostrou seu projeto, e suas garantias

Deixou tudo armado, era só assinar

Mas chegando em casa, quis se matar

 

O dono da fábrica, mas que deslealdade

Postou no seu blog, talvez por maldade

Os planos do Gabi, a idéia do pré-sal

E quem se deu bem, foi uma multinacional

Alguns esclarecimentos a respeito desse blog:

9 junho 2009

Muitos reclamam meu anonimato. Pois bem, desde que meu pai introduziu a internet em nossa casa, em 1997, a primeira recomendação foi bem direta: Nunca se exponha na rede.

Fiz esse blog como protesto – já está custando algumas horas perdidas dos meus estudos – e não pretendo me identificar, até porque o que interessa de FATO são as idéias aqui postadas, não minha aparência ou meus DADOS privados.

Não me sinto à vontade, até pelo teor de muitos comentários, em me expor.

Outros estão dizendo que estou ridicularizando os funcionários da Petrobrás, já que coloquei narizes de palhaço nos rostos que aparecem no cabeçalho.

Mais uma vez, reitero meu total respeito a todo colaborador da empresa (os que realmente trabalham e fazem a roda girar), e explico que a idéia do nariz foi exatamente para demonstrar o ridículo do uso de imagem representativa dos verdadeiros trabalhadores, para ilustrar um blog feito para saciar os interesses da diretoria da empresa. Mais coerente seria a face dos dirigentes, com seus ternos Armani, óculos D&G e Blackberry na mão. Ademais, esses personagens da foto certamente são modelos pagos, e se o dono dos direitos da imagem – no caso a Petrobras – tem alguma restrição, basta entrar em contato com o blog. Serei extremamente transparente e publicarei aqui, antes de qualquer providência, o texto na sua íntegra, para apreciação pública.

Layout do blog: como já expliquei, é de domínio público.

Quanto aos erros de português, lembro a todos que não sou jornalista, escritor ou redator profissional. Mas tentarei errar o mínimo, prometo.