Posts Tagged ‘imprensa’

Repercussão internacional

31 agosto 2009
Sergio Gabrielli - CEO da Petrobras - checando a repercussão internacional do seu blog chapa-branca

Sergio Gabrielli - CEO da Petrobras - checando a repercussão internacional do seu blog chapa-branca

Nesse domingo, 30 de agosto, o website da conceituada revista de economia BusinessWeek publicou matéria em que esse blog é citado. Fui procurado pela jornalista Geri Smith há duas semanas aproximadamente para ser entrevistado sobre os assuntos “blog da Petrobras” e a repercussão desse blog paródia.

Dei a entrevista por e-mail, onde contei o motivo de ter criado esse espaço e ainda passei alguns dados sobre tráfego. Smith foi muito gentil e mostrou-se, como se pode aferir na matéria publicada, excelente jornalista.

Campanha de adesão na TV

31 agosto 2009

blog TV petrobras PT 2CE

A Petrobras soltou no ar uma nova campanha publicitária em que divulga sua marca, suas conquistas, coisa muito normal. É uma campanha dispendiosa, com comerciais de TV de 30 segundos e que sorrateiramente insere, lá no finzinho da propaganda, o endereço do seu blog anti-imprensa.

Então ficamos assim: Uma empresa que tenta mostrar-se moderna e capaz, induz o público consumidor a entrar em um site da internet onde as duas únicas pautas são desmoralizar uma CPI do senado federal e atacar o trabalho da imprensa.

O consumidor que assistir o comercial de TV vai, embarcado pelo belo trabalho de promoção institucional, de boa fé cair em um blog de viés político, com uma seção de comentários recheado de textos de caráter eleitoral pró-governo, onde uma falsa impressão de adesão é fabricada devido a censura que exercem sobre a participação dos comentaristas que desejam criticar ou rebater as informações.

Mais uma novidade no mundo do marketing empresarial e no mínimo uma falta de decoro perante as leis eleitorais, pois mistura política com negócios.

Depois reclamam quando chamamos aquilo de site chapa branca disfarçado, sob comando do PT. Nunca antes neste país, quiçá no mundo, um blog ganhou campanha de divulgação na televisão, um dos meios mais caros de veiculação de propaganda. Blog que é blog, já disse aqui, se faz na raça dentro do mundo virtual. É um meio alternativo de comunicação, que não comporta esse uso desmedido de poder econômico como o que está sendo feito pela Petrobras. Deixou de ser blog, definitivamente.

O puxadinho da Petrobras

26 agosto 2009

Em depoimento à CPI da Petrobras, o gerente-geral de Implementação de Empreendimentos para a Refinaria Abreu Lima, Glauco Colepicolo Legatti, reconheceu que o valor total da obra passou de R$ 10 bilhões para R$ 23 bilhões. Segundo ele, o aumento na previsão de gastos com a construção foi provocado por “indefinições e mudanças” no projeto inicial da refinaria.

 Do UOL Notícias

 

– Seu João, o senhor já terminou as contas do orçamento do meu puxadinho?

– Terminei sim Dona Antonia, tá tudo aqui na cadernetinha, tudo certin.

– Pois é Seu João, meu marido tá aflito, ele quer começar logo a obra, a mãe dele vem aqui morar com a gente, sabe como é, né?

– Ih Dona Antonia! Esse negócio de sogra morando junto, sei não…

– Nah! Eu e Dona Maria nos damos bem Seu João, ela é gente boa. Mas e a conta Seu João? Fala logo homem de Deus!

– Bão Dona Antonia, minhas contas aqui são infalíveis. Esse puxadinho com quarto e banheiro, mais a caixa d’agua de 500 litros e a varandinha pra véia deitar na rede vai sair doze mil Reais, nem mais nem menos.

– Doze mil Seu João! Mas o senhor tava falando em dez até ontem! O Juvenal vai ficar uma arara com esse preço… Sei não… Tá tudo incluso Seu João? Material, mão de obra, entulho, a caixa d’agua, tudo?

– Tudim tudim dona Antonia, pode ficar no sossego.

Oito meses depois…

– Toninha minha mulher, eu vou matar esse pedreiro!

– Faz isso não Juju, tá quase terminando… Calma homem, calma!

– Terminando tá minha paciência e meu bolso Toninha! Já vendi o carro, já não sei mais o que falar pros credores do cartão de crédito, tô ficando louco mulher, tô lascado!

– Mais dois meses amor e sua mãe se muda pra cá, tá na beirinha de acabar, tá no finzinho…

– Mas esse pedreiro falou, escreveu aqui nesse papel de pão, que não ia ficar por mais de quinze mil essa obra, e isso já tem oito meses, O-I-T-O meses! Tô vendo que isso vai passar de vinte mil, e eu vou ter que vender até a geladeira e a nossa TV…  Mulher, vou ter que vender seu fogão de seis bocas, escreve aí!

– Juju, fala isso não, podia ser pior… Veja a Petrobras! Eles falaram que iam gastar 10 bilhões numa obra e agora já tão falando em 23, tão pior que o nosso pedreiro! Calma que pelo menos desvio e roubo aqui em casa tem não. Seu João é atrapalhado com as contas, mas político não é não.

– Deus me livre Toninha, Deus me livre!

Movimento Fora Sarney

22 agosto 2009

Nesse sábado (22/08) acontecerá em todo Brasil passeatas e manifestações de cidadãos insatisfeitos com a pizza do caso Sarney no senado federal, protestando contra a pemanência do senador maranhense do Amapá na presidência da casa.

Se você estiver disposto a contribuir com um movimento pró-cidadania, PARTICIPE, faça a diferença!

José Sarney representa o atraso, um Brasil arcaico que queremos enterrar

José Sarney representa o atraso, um Brasil arcaico que queremos enterrar

 

Para saber sobre locais e horários em outras cidades, consulte a comunidade do Orkut Fora Sarney.

Lina Vieira vai falar no senado sobre "Fisco X Petrobras"

12 agosto 2009

Do UOL notícias:

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado aprovou nesta quarta-feira (12) requerimento convidando a ex-secretária da Receita Federal Lina Maria Vieira para prestar depoimento sobre o encontro que diz ter tido com a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil). No encontro, Dilma teria pedido celeridade em auditoria realizada nas empresas ligadas ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Lina Vieira deverá comparecer à CCJ no próximo dia 18. A oposição já tinha anunciado que ouviria a ex-secretária em outra comissão do Senado, depois de ter frustrada a tentativa de levá-la para prestar esclarecimentos na CPI da Petrobras. O relator da CPI, Romero Jucá (PMDB-RR), rejeitou o requerimento e convidou o secretário interino, Otacílio Dantas Cartaxo, ouvido na terça-feira.

O líder do PT, Aloizio Mercadante (SP), enviou pedido à comissão para que a votação fosse adiada, mas foi voto vencido, assim como o de Inácio Arruda (PCdoB-CE), único representante da base do governo presente na reunião.

Lina Vieira também deverá ser inquirida sobre manobra tributária realizada pela Petrobras que resultou em recolhimento menor de impostos. A ex-secretária foi demitida depois que a Receita Federal se manifestou contra a operação.

(Clique aqui para ler a matéria completa)

Mar de lama: Dilma manda "aliviar" para Sarney

10 agosto 2009

Dilma Roussef e sua delicadeza na defesa de Erenice Guerra

Dilma Roussef e sua delicadeza na defesa de Erenice Guerra

Ex-secretária da Receita Federal demitida por Lula conta os podres do governo.

Do jornal Folha de São Paulo de domingo (09/08/2009)

A ex-secretária da Receita Federal Lina Maria Vieira diz que, em um encontro a sós no final do ano passado, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) pediu a ela que a investigação realizada pelo órgão nas empresas da família Sarney fosse concluída rapidamente.

 
A Folha obteve há três semanas a informação sobre o encontro e o pedido. Procurada pela reportagem, a ex-secretária confirmou. Ressaltou que não poderia dar detalhes sobre a auditoria, em respeito ao sigilo fiscal previsto no Código Tributário Nacional. Mas aceitou contar como teria sido a conversa com a ministra e pré-candidata à Presidência da República. A assessoria de Dilma diz que o encontro nunca ocorreu.

 
“Falamos sobre amenidades e, então, ela me perguntou se eu podia agilizar a fiscalização do filho do Sarney.” A ex-secretária disse que entendeu como um recado “para encerrar” a investigação, o que se recusou a fazer. “Fui embora e não dei retorno. Acho que eles não queriam problema com o Sarney.”

 
Segundo Lina, o pedido de Dilma ocorreu cerca de dois meses após o fisco ter recebido ordem judicial para devassar as empresas da família Sarney. Auditores da Receita ouvidos pela Folha dizem que uma fiscalização como essa pode levar anos. Encerrá-la abruptamente seria o mesmo que “aliviar” para os alvos da investigação.
Além do sigilo fiscal, inerente a todas as ações da Receita, a auditoria sobre o clã Sarney estava sob segredo de Justiça.

 
No final do ano, o Palácio do Planalto cuidava das articulações para a eleição à Presidência do Senado. Em público, Sarney negava a intenção de concorrer, embora se movesse nos bastidores. A candidatura foi anunciada em janeiro e, apoiada por Lula, acabou vitoriosa.
Sarney enfrenta hoje uma série de acusações de quebra de decoro por ter usado a máquina do Congresso em favor de parentes e aliados. Continua no cargo com o apoio de Lula.

 
A Folha contatou a Casa Civil quatro vezes para saber se a ministra Dilma confirmava o teor da conversa com Lina Vieira. Sua assessoria de imprensa, em conversas telefônicas e por e-mail, declarou que ela “jamais pediu qualquer coisa desse tipo à secretária da Receita” e, mais, que a ministra “não se encontrou com ela”. “Não houve a alegada reunião”, escreveu a assessoria. Lina, por sua vez, diz se lembrar de detalhes: do cafezinho que tomou na antessala e do xale que Dilma vestia.

 
Conforme a Folha publicou no dia 25 de julho, a recusa de Lina em atender pedidos de políticos foi um dos fatores que levaram à sua demissão no dia 9. O motivo mais divulgado foi a divergência em público sobre a mudança de regime tributário feita pela Petrobras.
Lina ficou apenas 11 meses e 10 dias no comando do fisco. Ela disse à Folha que o ministro Guido Mantega (Fazenda) avisou-a que a ordem para tirá-la do cargo “veio de cima”.

 

A Receita começou a vasculhar o clã Sarney em setembro de 2007. Num desdobramento da Operação Boi Barrica da Polícia Federal, o juiz Ney Bello Filho (1ª Vara Federal do Maranhão) determinou a fiscalização sobre Fernando Sarney, a mulher dele, Teresa Murad, e em três empresas da família: Gráfica Escolar, TV Mirante e São Luís Factoring.
Na ocasião, o secretário do fisco era Jorge Rachid. Um ano depois, em setembro de 2008, o juiz, insatisfeito com o resultado do trabalho dos fiscais, expediu novo ofício à Receita, determinando a ampliação da investigação, sob pena de prisão de dirigentes do órgão. Esse segundo despacho judicial ocorreu já na gestão de Lina, que assumira dois meses antes.

 
Em outubro, a Receita começou a montar um grupo especial de auditores de fora do Maranhão. Conforme a Folha revelou na semana passada, 24 pessoas físicas e jurídicas ligadas direta e indiretamente a Sarney estão sob investigação pelo fisco. No inquérito policial, Fernando Sarney já foi indiciado sob a acusação de formação de quadrilha, gestão de instituição financeira irregular, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

 
Segundo Lina, semanas depois do início da segunda etapa da fiscalização, a secretária-executiva da Casa Civil, Erenice Guerra, foi até a Receita falar com ela. Disse que a ministra queria ter uma conversa pessoal com Lina, mas não sabia dizer sobre qual assunto.
Erenice é o braço direito de Dilma. Ficou conhecida no começo do ano passado, após a Folha ter revelado que partiu dela a ordem para a elaboração, por funcionários da Casa Civil, de um dossiê com gastos pessoais do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

 
A ex-secretária da Receita disse se lembrar que o encontro ocorreu no final do ano passado, mas não da data exata. Prometeu localizar suas agendas, mas afirmou que não conseguiu encontrá-las, pois muitos de seus pertences já estão embalados para a mudança de volta para o Rio Grande do Norte, sua terra natal. A Folha pesquisou todos os dias da agenda oficial de Dilma. Não consta nenhuma audiência com Lina.

 
Na data combinada, Lina disse que foi ao Planalto, que foi recebida por Erenice e que aguardou alguns minutos até ser chamada por Dilma.
A Casa Civil não tem nenhuma ingerência formal sobre a Receita, subordinada ao Ministério da Fazenda.

Esperança

31 julho 2009

A reviravolta no caso Sarney, onde o presidente Lula mostra-se agora um defensor menos ardoroso do senador “maranhense” do Amapá, é um sinal de esperança no desenrolar da CPI da Petrobras. Segundo noticiou o jornal O Estado de São Paulo, essa mudança de comportamento do presidente do país se deve unicamente à revelação, por pesquisas encomendadas pelo planalto, do desgaste perante a opinião pública da figura do presidente, incluindo ai o de sua ministra-candidata Dilma Roussef.

Mais uma vez, constatamos a força da opinião pública mudando a história da política real. Sabemos que Lula é altamente sensível a qualquer mudança de patamar de sua popularidade, a segunda maior já conquistada por um presidente no Brasil. No caso específico de Lula, é até uma obsessão, dado que ao menor indício de perda de popularidade – o que é até normal em finais de mandato – faz o presidente se esquecer de condutas responsáveis em questões de gestão pública e parta, sem pestanejar, para medidas populistas custe o que custar.

Mas, deixando essa paranóia presidencial de lado e olhando para o fato pura e simplesmente, o lado bom dessa história é justamente a mudança de atitude por parte dos políticos diante de uma massa descontente e amplificada pela imprensa.

Quando postei um texto saudando a instalação efetiva da CPI da Petrobras, alguns me criticaram pelo teor demasiadamente otimista do título do post. Claro que naquele momento, e ainda agora, tenho a exata noção da dificuldade que será investigar qualquer coisa dentro de uma comissão tão desequilibrada pró-governo. São nove senadores governistas contra apenas três oposicionistas, e ainda temos senadores sem voto, suplentes que chegaram à Brasília por pura deficiência do nosso sistema eleitoral que permite tamanho atraso.

Porém, pegando carona no atual “momento Lula”, que começa a dar sinais que deixará seu neo-aliado Sarney queimar na fogueira das denúncias comprovadas sem um apoio tão descarado, podemos imaginar que, com os holofotes da imprensa acesos e focados no andamento da CPI, o desequilíbrio de forças ali possa amainar.

Nunca é demais lembrar como a CPI do mensalão mudou rapidamente de rumo e produziu um documento que acabou em denúncia contra quarenta mensaleiros e derrubou, na cassação e depois nas urnas, um bom tanto de parlamentares.

Enfim, CPIs, mesmo tão desgastadas com a imagem da pizza assando no forno, quase sempre produzem algum efeito prático. Temos algumas para lembrar: A dos anões do orçamento, que terminou com seis parlamentares cassados e quatro que preferiram renunciar para fugir da punição e da inelegibilidade; A do PC Farias, que terminou com o impeachment de Fernando Collor e até a atual da pedofilia, que produziu leis mais severas para o caso.

Sei que o resultado de todas elas sempre é menor do que gostaríamos, pois o jogo político atua com força e o espírito de corpo fala alto. Mas é mais do que muito político apreciaria, Lula inclusive.

Por medo da CPI, Lula mantém apoio a Sarney

27 julho 2009

Folha de São Paulo (27/07/09)

VALDO CRUZ
MARIA CLARA CABRAL
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

Apesar de avaliar que a situação do senador José Sarney (PMDB-AP) ficou mais delicada nos últimos dias, o presidente Lula não pretende abandoná-lo por temer perder o apoio dos peemedebistas na CPI da Petrobras.
Lula, contudo, deve reduzir as manifestações públicas em defesa de Sarney e atuar mais nos bastidores a partir de agora. Segundo um assessor presidencial, seu chefe não quer dar motivos para que o PMDB no Senado tenha uma posição hostil aos interesses do governo.

 
O presidente comentou com um aliado que não deseja enfrentar, na reta final do governo, uma nova CPI no estilo da que investigou o mensalão, sobre a qual perdeu o controle e que levou assessores a recomendar que ele desistisse da reeleição.

 
Na avaliação de Lula, se abandonar Sarney, o PMDB pode se aliar a tucanos e democratas e minar a candidatura de Dilma Rousseff -a ministra da Casa Civil preside o conselho de administração da estatal.

 
Dentro do governo, porém, a avaliação é que a crise ficou mais complicada após as revelações da última semana e talvez nem mesmo o aval de Lula seja suficiente para segurá-lo no cargo. Na semana passada, mesmo depois de o jornal “O Estado de S. Paulo” divulgar gravações em que Sarney trata de nomeação de um namorado de sua neta para cargo no Senado, Lula ligou para ele reafirmando seu apoio.

 
No sábado, a Folha revelou que, a mando da Justiça, a Receita realiza uma devassa em negócios da família Sarney. Auditores detectaram elementos que configuram crimes contra a ordem tributária, como envio ilegal de recursos ao exterior e lavagem de dinheiro. Sarney continua dizendo que não irá renunciar. Amigos não descartam a possibilidade de ele pedir licença, a depender do estado de saúde de sua mulher, Marly.

 
Nesta semana, apesar do recesso parlamentar, senadores da oposição prometem se articular pela saída de Sarney. Além de referendar os processos já protocolados no Conselho de Ética, a oposição quer reunir novas denúncias para avaliar se ingressa com mais uma representação.

 

 

Dois milhões em bufunfa viva até hoje sem dono

Dois milhões em bufunfa viva até hoje sem dono

DOSSIÊ DOS ALOPRADOS: EX-SEGURANÇA DO PRESIDENTE LULA É FUNCIONÁRIO TERCEIRIZADO DA PETROBRAS

Em junho, a Folha revelou que um dos contratados pela Protemp é o petista José Carlos Espinoza, ex-segurança do presidente Lula implicado no caso do dossiê dos “aloprados”, nas eleições de 2006. Espinoza é terceirizado e trabalha desde abril de 2007 na sede da Petrobras em São Paulo, no setor de Comunicação Institucional.

Best-Seller

22 julho 2009

Falcao meninos do trafico

Direto da gráfica do Senado: Falcão, meninos do tráfico de influência

(ler posts abaixo)

Se quiser comprar/ver o original, clique aqui no Submarino.

Show dos Milhões

21 julho 2009

(leiam antes o post anterior)

Pois é, tanto a tal Guanumbi como a RA Brandão, empresas que prestam serviços os mais variados e fecharam contratos milionários com a Petrobras não aparecem na busca do GOOGLE com suas respectivas homepages (sites) na internet.

É estranho, pois tenho um amigo que tem uma minúscula empresa de assistência técnica (deve faturar, sei lah, uns 4 mil reais por mês) e ele TEM site na internet. Sabem por que? O meu amigo PRECISA de clientes para poder faturar. Uma empresa que não se mostra, que não tem nem mesmo uma homepage, é porque não PRECISA de clientes não é? Deve ser por isso que as tais RA Brandão e a Guanumbi não se mostram ao público. Estão com um CLIENTÃO no bolso. Como chegaram ao tal clientão, aí são outros quinhentos.

Vejam que achei até o site de uma academia de artes marciais com nome parecido – Dojo-Guanumbi – vizinho da tal RA Brandão “Corporation” e Guanumbi “Associates”. Uma pequena academia do bairro TEM website, os “associates” acima não tem.

Interessante também foi pesquisar no site de registro de domínios de internet do Brasil, o REGISTRO.BR (do CGI-Br). Ali, na data de hoje (21/07/2009), os nomes GUANUMBI.com.br e RABRANDAO.com.br (ou ainda RA-BRANDAO.com.br) estão disponíveis para quem quiser registrar. É só pagar a taxa de TRINTA REAIS e pronto, o domínio é seu. O tal Raphael de Almeida Brandão pode ser um gênio empresarial ao conseguir contratos tão substanciosos com a Petrobras, mas nem se deu ao trabalho de REGISTRAR suas marcas na internet brasileira. Bem fundo de quintal mesmo…

 RA brandao registro dominios

Meu amigo técnico de informática e o dono da academia de bairro foram atrás rapidinho do registro de seus estabelecimentos na internet – pois precisam aparecer – já o tal Raphael Brandão (Brandão… eita nominho que tráz más lembranças hehehehe)  não liga pra essas coisas de marketing básico, sacumé. Mas é um gênio dos contratos milionários com uma estatal.

Dando uma olhada no google earth, pode-se visualizar o local onde funcionam as duas empresas: Uma área aparentemente residencial como pode se constatar, com muitas casas com piscina e mata. Não sei exatamente qual dessas casas é a do amigo petrobraseiro, mas é dentro desse raio. Espero que as superempresas não estejam derrubando mata de preservação.

 satelite guanumbi

Abaixo outra curiosidade. Pegando o CNPJ da RA Brandão Produções artísticas, vemos que a empresa é realmente bem eclética nas suas capacitações: Vai desde Outras atividades de prestação de serviços de informação não especificadas anteriormente” até a “gravação de carimbos” (????).

 ficha RA Brandão receita federal

Ela também está registrada como “empresa individual”, ou seja, é empresa de um dono só, não é nem mesmo uma sociedade Ltda. Segundo um contador consultado, é incomum que empresas individuais sejam contratadas por valores tão altos e regularmente por grandes empresas, pois a legislação trabalhista é dúbia em relação a essa modalidade empresarial solitária, colocando em risco quem as contrata, enxergando nisso um vínculo empregatício mascarado. Segundo o amigo contador, uma empresa INDIVIDUAL que receba 75% do seu faturamento regularmente de outra empresa de maior porte já coloca em risco a empresa contratante perante as leis trabalhistas. Que contador abusado esse hein? Dando idéias pro amigo Raphael Brandão… hehehe

A tela acima mostra uma informação pública, porém apaguei alguns dados mais sensíveis para evitar constrangimentos.

 

ALÔ ALÔ funcionários de verdade da Petrobras! Leiam bem o que respondeu o blog oficial sobre o caso para o jornal O Globo: “O gerente responsável pelos pagamentos foi demitido por justa causa, por descumprimento de procedimentos internos de contratação da Companhia. Quanto às informações sobre os serviços realizados não é possível fornecê-las agora (domingo, 19/7)”

E depois não querem CPI. Só com as notícias voando um gerente já foi pelos ares. Se foi, causou prejuízo. De quanto?

Obs: todos os dados apresentados acima estão
disponíveis publicamente na internet.