Posts Tagged ‘Sergio Gabrielli’

PETROBRAS = PDVSA?

4 setembro 2009
PetrobrasPdvsa - Deus nos livre!

Hugo Chaves e Sergio Gabrielli: rindo de quê?

A Petrobras está tomada por pessoas com currículo apenas político, decidindo e planejando ações cujos interesses muitas vezes conflintam com os do Brasil.

A associação com a PDVSA da Venezuela, país que jogou a democracia na lata do lixo e vem impondo, à força, um regime totalitário e armamentista é um péssimo exemplo. Chaves expropria ativos de outros países com a maior sem-cerimônia. Investir dinheiro brasileiro naquele país hoje em dia é aposta de altíssimo risco.

Pré-Sal

É dever de cada cidadão brasileiro estar atento as novas regras sobre a exploração do petróleo do pré-sal geradas em gabinetes onde poucas pessoas tiveram direito a opinar. A urgência solicitada pelo presidente Lula na tramitação do projeto dentro do legislativo (45 dias em cada casa) é um acinte para a população, pois o pré-sal ainda demorará anos para gerar realmente riquezas, é coisa que começará realmente só no próximo governo e há muita controvérsia sobre o modelo apresentado.

Enfiar propostas goela abaixo é tática digna de Hugo Chaves. Espero que as técnicas do bufão venezuelano  não estejam contaminando nossos governantes. Não queremos uma espécie de PDVSA tomando conta do nosso petróleo. A Venezuela aplica seus petrodólares em armamentos e no financiamento de apoio de outros países, enquanto seu povo passa necessidades. No Brasil, queremos petrodólares exclusivamente para o desenvolvimento de ciência & tecnologia e educação, além da causa ambiental.

Precisamos ainda ter esse futuro dinheiro (e bota futuro nisso) resguardado de sanhas de governos de plantão. Nova estatal para gerir recursos não! Que se crie um conselho amplo, independente e democrático para fiscalizar e gerenciar essa futura bufunfa.

Repercussão internacional

31 agosto 2009
Sergio Gabrielli - CEO da Petrobras - checando a repercussão internacional do seu blog chapa-branca

Sergio Gabrielli - CEO da Petrobras - checando a repercussão internacional do seu blog chapa-branca

Nesse domingo, 30 de agosto, o website da conceituada revista de economia BusinessWeek publicou matéria em que esse blog é citado. Fui procurado pela jornalista Geri Smith há duas semanas aproximadamente para ser entrevistado sobre os assuntos “blog da Petrobras” e a repercussão desse blog paródia.

Dei a entrevista por e-mail, onde contei o motivo de ter criado esse espaço e ainda passei alguns dados sobre tráfego. Smith foi muito gentil e mostrou-se, como se pode aferir na matéria publicada, excelente jornalista.

Celebridade gosta mesmo é da revista Caras

28 junho 2009

O Sr. Sergio Gabrielli deu entrevista ao jornal O Estado de São Paulo essa semana e publicada hoje, domingo 28/06 – íntegra aqui. Semana retrasada houve outra entrevista, quase uma coletiva, no programa Roda Viva da TV Cultura de São Paulo, transmitida a todo o Brasil através da rede de TVs educativas. Li uma e assisti a outra. Nas duas, a percepção que tenho do presidente da Petrobras é de extrema arrogância. O homem não conhece a palavra diplomacia.

Sinceramente, mesmo pesquisando na internet a procura de entrevistas diversas no passado recente, não achei nada parecido a essa postura vindo de um executivo graúdo de empresa que fosse.

Parte da entrevista publicada hoje em que ele coloca um tal de “preconceito contra nordestinos” só porque a imprensa questiona as gordas verbas para festejos regionais intermediadas por ONGs pra lá de suspeitas é seu pior momento. Golpe baixo querendo colocar brasileiros contra brasileiros em defesa de atos que merecem sim investigação.

Alguns poderão achar até válido o posicionamento de Gabrielli, num entendimento de que seria uma defesa aguerrida do seu negócio, da corporação que dirige. Mas por que não temos nada parecido em qualquer outro tipo de conglomerado? O que seria diferente na Petrobras em relação a tantas outras grandes empresas, nacionais ou multinacionais, que daria essa prerrogativa a seu presidente em ser arrogante, raivoso, pouco polido até?

A íntegra da entrevista, como já linkei acima, está disponível na internet. Vou ainda tentar achar uma transcrição do programa Roda Viva para que vocês tenham a oportunidade de analisar também. Gostaria, porém, de pedir a cada leitor desse texto que postasse nos comentários, caso conheça, algum exemplo de dirigente de conglomerado, qualquer que seja, dando caneladas em público iguais as que estamos assistindo protagonizado por Gabrielli. Unzinho só. Eu não achei nada parecido. Se acharem, será com certeza uma exceção.

Gabrielli se diz incomodado com a CPI. Diz que a mesma poderá afetar economicamente a Petrobras, e que apurações do TCU e outros órgãos de investigação já estão prejudicando a companhia. Cumé quié?

Quer dizer que uma investigação legítima do TCU está, segundo suas palavras, atrasando licitações porque funcionários da empresa agora têm que prestar contas? A Petrobras tem 30 funcionários apenas? A sede fica no fundo do quintal da casa do Gabrielli? È de matar de rir tal argumento.

Se só no setor de comunicação trabalham 1150 pessoas – fora os contratados recentemente – ele quer fazer acreditar que o setor jurídico, técnico e outros que provavelmente são acionados para produzir relatórios explicativos de suspeições levantadas pelo TCU ou pelo MPF desestabilizam o cotidiano da mega-super-hiper Petrobras? Estou rindo aqui…

Então significa que montar uma equipe de “crise” de 30 pessoas para acompanhar a CPI e levantar documentos e respostas às inquirições dos senadores também vai atrapalhar a companhia?

A Petrobras tem mais de 75 mil funcionários diretos! Aliás, todos muito bem remunerados, diria até que sobrando em alguns setores (comunicações é um deles). Terceirizados devem passar de 120 mil. Prestar contas à sociedade vai dar trabalhinho é? Vai ser canseirinha?

Insinuar que investigar a empresa é uma maneira de prejudicar a Petrobras é o fim da picada! Qualquer empresa no Brasil, privada, nacional, multinacional ou pública é a princípio alvo de investigação que por ventura pareça necessária, e ponto final!

Se Gabrielli acha que ser alvo de investigação desgasta o sossego de seus diretores e assemelhados, então o que ele diria de uma simples fiscalização da Receita Federal sobre um pequeno comércio? Seria um recado pro dono da bodega gritar “cansei!”, chutar o cesto de lixo e sair arrancando as roupas pela rua?

Vamos pegar como exemplo um simples posto de combustíveis então, já que faz parte do mundo do petróleo. Na estrutura desse posto de abastecimento não existem diretores, coordenadores, nem mesmo assessores de imprensa editando bloguinho. Ali, quando chega um fiscal, ele EXIGE documentos. E o dono do estabelecimento vai ter que se virar pra suprir todas as solicitações LEGÍTIMAS do poder fiscalizador. No máximo, o bravo vai procurar ajuda de um advogado ou contador. E a vida dele e do seu negócio continuam sem maiores problemas. É assim em qualquer cidade do país.

Imaginem também o Sr. Abilio Dinis, dono da CBD (Pão de Açúcar) dando declarações na imprensa peitando senadores e levantando teorias de uma imprensa conspiratória. Seria destituído rapidinho da presidência do grupo, mesmo sendo o controlador. Nenhum acionista ou conselheiro que não fosse miolo mole aceitaria a imagem da empresa que representa sendo arranhada pela impertinência de comentários do tipo. Se fosse caso de executivo contratado, como um Carlos Gosh, da Renaut-Nissan, decerto seria bilhete azul, no ato!

Mas Gabrielli se acha DONO da Petrobras! Não se enxerga como um executivo que está lá para dar, polidamente, satisfações à sociedade, aos acionistas, aos empregados e aos órgãos legítimos de fiscalização e controle. Um presidente de empresa é o porta-voz de toda companhia perante a sociedade, não de si mesmo. É dirigente, não celebridade.

Gabrielli está transformando em briga pessoal uma coisa natural numa sociedade democrática e republicana. Fazer CPI é uma das atribuições do poder legislativo e todo cidadão, do nível que for, tem que aceitar isso. Se existe medição de força política no caso (e toda CPI tem política embutida, é do jogo), caberia ao presidente da Petrobras ficar bem longe dessa cumbuca. Se alguém se acha no direito de gritar contra a imprensa e fazer manobras protelatórias contra a CPI, no meu entender essa tarefa seria dos partidos da situação, assumindo inclusive o desgaste dessas atitudes perante a opinião pública. Já a empresa tem que ser diplomaticamente preservada por seus responsáveis, sempre.

Isso só corrobora a tese de que, antes de ser presidente da Petrobras, Gabrielli é quadro do PT, e que os interesses do PT estão acima dos da Petrobras. É essa a leitura que qualquer ser pensante e sensato faz do quadro atual. E quem perde com essa atitude é a própria Petrobras, que vai arranhando sua imagem graciosamente perante a opinião pública nacional, quiçá no mundo todo, já que parece atuar como apêndice de partido político.

Para ler e refletir…

18 junho 2009

Princípios Éticos do Sistema Petrobras:

*Publicado no website oficial da empresa (OBS: Os grifos são meus)

1. O respeito à vida e a todos os seres humanos, a integridade, a verdade, a honestidade, a justiça, a eqüidade, a lealdade institucional, a responsabilidade, o zelo, o mérito, a transparência, a legalidade, a impessoalidade, a coerência entre o discurso e a prática, são os princípios éticos que norteiam as ações do Sistema Petrobras.

2. O respeito à vida em todas as suas formas, manifestações e situações é o principio ético fundamental e norteia o cuidado com a qualidade de vida, a saúde, o meio ambiente e a segurança no Sistema Petrobras.

3. A honestidade, a integridade, a justiça, a eqüidade, a verdade, a coerência entre o discurso e a prática referenciam as relações do Sistema Petrobras com pessoas e instituições, e se manifestam no respeito às diferenças e diversidades de condição étnica, religiosa, social, cultural, lingüística, política, estética, etária, física, mental e psíquica, de gênero, de orientação sexual e outras.

4. A lealdade ao Sistema Petrobras se manifesta como responsabilidade, zelo e disciplina no trabalho e no trato com todos os seres humanos, e com os bens materiais e imateriais do Sistema, no cumprimento da sua Missão, Visão e Valores, em condutas compatíveis com a efetivação de sua Estratégia Corporativa, com espírito empreendedor e comprometido com a superação de desafios.

5. A transparência se manifesta como respeito ao interesse público e de todas as partes interessadas e se realiza de modo compatível com os direitos de privacidade pessoal e com a Política de Segurança da Informação do Sistema Petrobras.

6. O mérito é o critério decisivo para todas as formas de reconhecimento, recompensa, avaliação e investimento em pessoas, sendo o favorecimento e o nepotismo inaceitáveis no Sistema Petrobras.

7. A legalidade e a impessoalidade são princípios constitucionais que preservam a ordem jurídica e determinam a distinção entre interesses pessoais e profissionais na conduta dos membros dos Conselhos de Administração, dos Conselhos Fiscais e das Diretorias Executivas e dos empregados do Sistema Petrobras.

8. O Sistema Petrobras compromete-se com o respeito e a valorização das pessoas em sua diversidade e dignidade, em relações de trabalho justas, numa ambiência saudável, com confiança mútua, cooperação e solidariedade.

9. O Sistema Petrobras desenvolve as atividades de seu negócio reconhecendo e valorizando os interesses e direitos de todas as partes interessadas.

10.                   O Sistema Petrobras atua proativamente em busca de níveis crescentes de competitividade, excelência e rentabilidade, com responsabilidade social e ambiental, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do Brasil e dos países onde atua.

11.                   O Sistema Petrobras busca a excelência em qualidade, segurança, meio ambiente, saúde e recursos humanos, e para isso promove a educação, capacitação e comprometimento dos empregados, envolvendo as partes interessadas.

12.                   O Sistema Petrobras reconhece e respeita as particularidades legais, sociais e culturais dos diversos ambientes, regiões e países em que atua, adotando sempre o critério de máxima realização dos direitos, cumprimento da lei, das normas e dos procedimentos internos.

                                                        – 0 – 

Meu comentário: Parabéns Petrobras por criar, publicar e expor ao público esse exemplar código de ética. Espero que os moderadores dos comentários do Blog Fatos e Dados (o blog oficial) conheçam essas diretrizes. Tenho certeza que os funcionários DE FATO da Petrobras, aqueles que ralam e suam a camisa, conhecem.